quarta-feira, 13 de abril de 2011

A gestalt aplicada à educação das crianças

As aplicações das descobertas da Gestalt na Educação são muito importantes por recusarem o exercício puramente mecânico no processo de aprendizagem. 
Os psicólogos que preconizaram a teoria da Gestalt, como Köhler, Koffka, defendiam que a experiência e a percepção são mais importantes que as respostas específicas no processo de aprendizagem. Segundo eles a aprendizagem acontece através de insight, que se constitui numa compreensão súbita para solução de problemas. Mas para que isso ocorra existe a necessidade de experiências anteriores vinculadas ao problema e só acontece em consequência de uma organização permanente da experiência, que permite a percepção global dos elementos significativos.
Assim, a aprendizagem deve-se a uma re-organização do campo cognitivo que permite a compreensão de um problema e a sua solução. Para a gestalt a experiência não é o único factor de aprendizagem, pelo que esta resulta da compreensão e percepção da mesma.
Isto ajuda a explicar porque razão duas crianças, da mesma faixa etária, que sejam sujeitas ao mesmo estímulo, nas mesmas condições, o captam, seleccionam, organizam e interpretam de forma distinta.

Conceito de Percepção
A Gestalt traz-nos o conceito de percepção – que não é mais do que o processo de descodificar os estímulos que recebemos. Em termos gerais, a percepção pode ser descrita como a forma como vemos o mundo à nossa volta, o modo segundo o qual o indivíduo constrói em si a percepção e o conhecimento que possui das coisas, pessoas e situações. Percepcionar algo ou alguém é captá-lo através dos sentidos e também fixar essa imagem.
As relações entre o indivíduo e o meio que o rodeia são assim regidas pelo mecanismo perceptivo e todo o conhecimento é necessariamente adquirido através da percepção.
A mesma imagem pode ser percebida de forma diferente por dois indivíduos, devido às diferenças de percepção.

O Todo é maior do que a soma das partes
Por outro lado, segundo a Gestalt as coisas são percebidas na forma de um todo.
Aplicando à educação das crianças, é necessário ensinar-lhes conceitos globais que contribuam para o desenvolvimento do intelecto geral, antes de lhes mostrar os detalhes, porque quando os pormenores são ensinados primeiro, nem sempre os alunos conseguem compreender o verdadeiro significado do que aprenderam. Neste sentido, os conteúdos devem ser apresentados de forma integrada e não isolada.
Assim, podemos concluir que os estímulos não agem de forma mecânica sobre um organismo passivo, pelo que o indivíduo participa activamente no seu processo de aprendizagem.
A consciência destes aspectos aumenta, naturalmente, a responsabilidade dos educadores, que devem adaptar o método de ensino às crianças e jovens que ensinam, de forma a estimularem o aparecimento de insight e portanto, de transferências das aprendizagens para outros contextos.

2 comentários: